Logomarca

Atualidade

Voltar
Facebook Twitter Google

20 de Novembro - Dia Nacional da Consciência Negra

imagem

Por que celebramos um 20 de novembro

Quando me solicitaram esse texto, eu pensei em tantas coisas pra dizer e no fervilhar de respostas na minha mente, a luta, veio comungar tudo.

No período do Brasil colônia, Zumbi dos Palmares lutou contra a escravidão e os direitos dos africanos que sofriam com tantas desumanidades. O Quilombo dos Palmares, localizado no atual estado de Alagoas, liderado por Zumbi, formou uma resistência ao sistema escravocrata que vigorava naquela época. Zumbi foi assassinado em 20 de novembro de 1695 e transformou-se num mito entre os africanos escravizados e sua história foi passada de geração em geração, a abolição da escravatura só fora assinada 193 anos depois sua morte.

 Zumbi e sua luta permanecem vivos, séculos se passaram, avanços aconteceram mais, no entanto a luta contra a escravidão parece longe de acabar. No século atual, as chibatas dos senhores de escravos se dão em contextos mais sofisticados e muitas vezes norteados por ideias simplistas desconsiderando a contextualização histórica. Isso para fazer-nos acreditar que no Brasil o racismo não existe, que o povo negro é vitimista e que a igualdade existe pra todos.

Na contramão, as estatísticas, mostram que o genocídio de jovens negros só faz crescer, como também a violência contra mulher negra, e que na linha da pobreza os negros ainda são a maioria.  Segundo o Atlas violência 2017 a população negra corresponde a maioria (78,9%) dos 10% dos indivíduos com mais chances de serem vítimas de homicídios. Dados do último Mapa mostram também o aumento de 54% nos homicídios de mulheres negras. Cerca de 50 milhões de brasileiros, o equivalente a 25,4% da população, vivem na linha de pobreza e têm renda familiar equivalente a R$ 387,07. A maior diferença está no Sudeste, onde os pretos ou pardos representavam 46,4 .Considerando que 52% da sua população se declara negra, como explicar a mínima representatividade na política, na medicina, na gestão de empresas, na engenharia, nos bancos, nos meios de comunicação... das negras e negros?

Quando movimentos negros, militantes, escritores, intelectuais, estudiosos, cientistas, sociólogos, professores... Especialistas em geral, trabalham para identificar as causas e ainda constroem propostas e ações para amenizar esse contexto, devemos ao mesmo buscar o conhecimento para opinar sobre e nos questionar sobre o porquê  em toda história as ditas “minorias” foram vistas como ameaças. Contudo, nos contextos históricos as lutas pela igualdade sempre foram fundamentais para a construção de uma sociedade mais equilibrada. Enquanto existir preconceitos e desigualdade de direitos, haverá luta. Façamos o exercício da empatia nos 365 dias do ano no contexto das lutas negras, o vinte de novembro é todo dia.

Ana Paula Silva

Jornalista – Apresentadora do Programa Panorama Geral


Fonte: Ana Paula Silva